8 agradecimentos inusitados para uma mãe

Por em 13 / maio / 2017

Meu filho acaba de fazer 2 aninhos — ele delegou a mim a tarefa de comprar um cartão de Dia das Mães e escrever uma mensagem nele. Eu o estou treinando para dizer: “Obrigado, mamãe” e “Eu te amo, mamãe” (embora na hora saia, na melhor das hipóteses: “Obigado mamaim!” e “Eu tamu mamaim!”).

Mas espero que ele agradeça pelo que daqui a 20 anos, quando ele olhar para trás tendo crescido com uma mãe cristã? Aqui está o que eu adoraria que ele dissesse aos 22 anos de idade, quando der à sua mãe chocolates de Dia das Mães (chocolates, não flores, filho — chocolates tendem a ser compartilhados com os pais, mas flores só servem para ser olhadas em cima da mesa).

  1. Obrigado por priorizar Cristo em detrimento de mim.

Você me ensinou, por meio da palavra ide, que eu não sou o centro do seu mundo, porque eu não sou o centro do mundo. E você me contou quem tem essa posição: o Senhor Jesus. Você nunca me permitiu mandar em nossa casa, e você sempre deixou claro que as minhas opiniões e preferências, embora importantes, não são imposições. Obrigado pelas vezes que você não foi capaz de passar tempo comigo, porque estava ministrando para outra pessoa. Obrigado pelas vezes que você não foi capaz de gastar dinheiro comigo, porque você o havia dado a outra pessoa. Obrigado porque, ao nunca me tratar como a pessoa mais importante da sua vida, você me direcionou para a Pessoa mais importante no cosmos.

  1. Obrigado por me mostrar graça, não obras.

Você fez tanto por mim, e nunca jogou na minha cara para me fazer sentir culpa, nunca sugeriu que o seu amor dependesse de que eu alcançasse determinado padrão, nunca guardou rancor após eu te desapontar, nunca se perguntou em voz alta: “Por que eu ainda tento?” Nos esportes e na escola, eles me ensinaram que os melhores vencem, e que o trabalho recompensa. Em casa, você me ensinou que eu não preciso ser bom o suficiente para ser aceito, que o amor é generoso. E obrigado por me disciplinar de forma justa e firme, e por me perdoar completa e repetidamente. Obrigado porque os limites eram claros, e as explicações eram sempre curtas.

  1. Obrigado por me mostrar arrependimento, não falsa perfeição.

Você cometeu erros — muitos erros. Obrigado por não inventar desculpas por eles ou diminui-los. Obrigado por parar e pedir desculpas a mim e a Deus na minha frente. Obrigado por você saber que você era perdoada, e por viver como se de fato fosse. E obrigado por sempre me apoiar, mas nunca inventar desculpas para o meu pecado ou me deixar pensar que eu era bom o suficiente para Deus. Obrigado porque aprendi de você a não vestir uma máscara de justiça própria, ao invés disso, você me ensinou a desfrutar o colocar as vestes da verdadeira justiça de Cristo.

  1. Obrigado por se preocupar mais com o meu caráter do que com as minhas habilidades.

Você me encorajou a ser gentil, atencioso e paciente, mais do que insistiu que eu fosse bem na escola, aprendesse um instrumento ou me aperfeiçoasse em um esporte. Não é que você não tenha me ajudado com o dever de casa, ou não tenha me feito praticar música, ou não tenha me levado ao futebol; mas eu sempre soube que quem eu era e quem eu estava me tornando importava mais do que o que eu era capaz de fazer.

  1. Obrigado por saber que me evangelizar era trabalho seu e do papai

Obrigado por ter me contado histórias bíblicas, cantado canções bíblicas comigo, orado comigo e me contado a respeito de Deus enquanto passávamos pelas nossas tarefas e passeios diários. Obrigado porque você não pensou que poderia delegar esse trabalho aos meus líderes do ministério infantil ou de adolescentes.  Obrigado por não ter forçado Cristo em toda conversa, como se mencioná-lo em cada frase me fizesse converter, mas obrigado por ele não ter precisado ser forçado, porque ele era um companheiro constante da nossa família. Obrigado porque eu sou um daqueles filhos que não se lembram da primeira vez que ouviram a respeito do Senhor Jesus, e não se lembram de um dia sequer não ter ouvido a respeito dele.

  1. Obrigado por amar o papai.

Ele comete erros também (mais do que você, mamãe). Obrigado por você tê-lo amado, por tê-lo perdoado quando precisou e pedido perdão quando precisou; por ter rido com ele; por ter sido carinhosa com ele; por ter se submetido a ele; por ter chorado com ele. Obrigado por ter feito todas essas coisas na minha frente, de maneira que, por causa da esposa que você foi para ele, eu pudesse saber o que significa ser um homem, marido e pai cristão.

  1. Obrigado por me dar chances de servir.

Frequentemente, servir as pessoas com você era muito divertido, mãe, quando cozinhávamos juntos, fazíamos visitas juntos, fazíamos cartões juntos. Mas, às vezes, era chato, cansativo ou custoso. Mas obrigado por termos feito isso mesmo assim, e por termos feito juntos. Obrigado por nunca ter me protegido da realidade da vida cristã — você nunca me permitiu pensar que a igreja se tratava só das minhas necessidades, ou que no serviço eu deveria ser sempre aquele que recebe. Obrigado por sempre ter me oferecido uma cruz para carregar, conforme você carregava a sua. Mas obrigado por você sempre ter explicado o motivo de servirmos os outros, e por eu ter aprendido (lentamente) a me alegrar por poder servir o Cristo que havia me servido.

  1. Obrigado por me mostrar o que é amor sacrificial.

Todos os dias da minha vida, desde o primeiro deles, você fez algo por mim que era difícil ou custoso para você. Na maneira que você exerceu a maternidade comigo, eu posso ver o reflexo de como Cristo viveu e morreu por mim. Você me mostrou Cristo.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *